Home / Destaque / Presidente da associação de moradores da Baixa de Toquinha reclama de saída do PETI; Prefeitura anuncia novo local para o projeto
PETI

Presidente da associação de moradores da Baixa de Toquinha reclama de saída do PETI; Prefeitura anuncia novo local para o projeto

Pedro Gonçalves, presidente da Associação dos Moradores da Baixa de Toquinha, concedeu entrevista, na manhã desta quinta-feira (25), aos radialistas Ed Júnior e Rei Consul, no jornal da Santa Cruz, na Rádio Santa Cruz FM, para falar sobre o fechamento do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) instalado na localidade da zona rural de Cruz das Almas.

“Fui tratado pior que um cachorro. A secretária não me recebeu. Estive seis vezes na Secretaria de Assistência Social e na Prefeitura para conversar com Dr. Mauro, mas não encontrei”, reclamou o presidente. Sobre a saída do programa da Baixa de Toquinha ele alega desconhecimento. “Não fomos comunicado [sobre o fechamento]”, acrescentou.

“Até agora não deram notícia nenhuma. Para minha surpresa, no último dia 23 [terça-feira] eles retiraram tudo”, declarou. O PETI funcionava na sede da Associação e era alugado à Prefeitura. Segundo Pedro, a atual gestão deve quatro meses de aluguel. O presidente informou que até dezembro o valor pago era de R$ 579.

“Nós recebemos um presente de grego”, lamentou Pedro sobre a saída do PETI. “O bairro ficou prejudicado”, acrescentou. Apesar de “chateado”, o presidente acredita no retorno do projeto à localidade. “Lá tem pessoas competentes e acredito na volta”, encerrou.

OUTRO LADO

A reportagem do Bahia Recôncavo conversou com o secretário municipal de Relações Institucionais, Josoaldo Cardoso, e ele esclareceu que a Baixa de Toquinha não perderá o PETI. “Alugamos outro imóvel e depois de realizarmos algumas reformas, reabriremos em maio”, disse. A casa que abrigará o projeto fica na rua João Gonçalves Moura, na localidade.

Cardoso contou que o valor do novo aluguel será de R$ 600. “Até o momento ele [Pedro Gonçalves] não mostrou o contrato”, contestou o secretário para justificar o não pagamento dos supostos aluguéis atrasados. O representante da administração municipal alegou que a Prefeitura pagou, apenas no mês de março, uma conta de R$ 948,04 à Embasa. “O presidente da Associação tinha uma chave do local. Algo que é inadmissível quando você loca um imóvel”.

O secretário informou ainda que a Prefeitura de Cruz das Almas pretende instalar, em conjunto com o PETI, um projeto, que Josoaldo não soube detalhar, para capacitar as moradoras e prepará-las para o mercado de trabalho. Reportagem: Maurício Medeiros

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

14 − 6 =