Home / Destaque / Raimundo Jean revela demissões de comissionados da Prefeitura de Cruz das Almas no final de outubro

Raimundo Jean revela demissões de comissionados da Prefeitura de Cruz das Almas no final de outubro

O prefeito Raimundo Jean (PMDB) concedeu entrevista ao Bahia Recôncavo nesta segunda-feira (30) e confirmou que a Prefeitura de Cruz das Almas deve demitir servidores comissionados neste mês de outubro. “Estamos fazendo sacrifícios para voltar ao número ideal que é 54%”, disse o peemedebista, conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal com os gatos de pessoal. Segundo ele, neste momento o limite foi ultrapassado.

“Estamos reduzindo gratificações, estamos reduzindo salário de cargo de confiança, reduzindo hora extra, que são trocadas por folga e vamos agora no final de outubro, em decreto, demitir algumas pessoas comissionadas”, disse.

Raimundo Jean deixou em aberto a possibilidade de em 2014, caso as contas melhorem, recontratar os servidores que serão desligados agora. Ele não soube precisar o número de comissionados que perderão seus empregos agora no final de outubro.

O gestor informou que outra ação para melhorar as contas do Executivo será buscar valores da dívida ativa. “Tem empresa em Cruz das Almas que deve mais de R$ 2 milhões”, disse. Ele citou o caso da Embrapa como uma das devedoras. “Concedemos o alvará e demos 30 dias. Se neste período não for resolvido, ela ficará sem alvará”, explicou, mas sem revelar quanto o Centro Nacional de Pesquisa em Mandioca e Fruticultura deve aos cofres municipais.

Raimundo Jean negou que tenha intenção de trocar o primeiro escalão neste momento, mas revelou sua vontade de realizar uma reforma administrativa. “Há o pensamento de criar mais duas secretarias, mas só podemos fazer isso se estivéssemos folgados (financeiramente)”, contou.

Caso a crise nos cofres das prefeituras diminua, o prefeito disse ter vontade em criar é a Secretaria de Meio Ambiente, hoje vinculada à Secretaria de Agricultura. “Estamos no milênio do meio ambiente. Precisamos investir muito”.

A outra pasta seria para trabalhar exclusivamente com convênios, mas ainda sem um nome. “O governo federal tem recursos, mas um dos grandes entraves é a falta de técnicos. Hoje na diretoria temos três profissionais e podemos correr risco de perder convênio por falta de pssoal”, acrescentou.

A reforma administrativa, prevê Raimundo Jean, será proposta à Câmara de Vereadores no primeiro semestre de 2014.

Segundo o prefeito, nos primeiros seis meses de 2013 o acréscimo nas receitas do município, quando comparado com o mesmo período do ano passado, foi de pouco mais de R$ 800 mil. “Salário mínimo e outros custos aumentaram”, desabafou. Reportagem: Maurício Medeiros / Foto: Maurício Medeiros (arquivo – julho 13)

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

2 × cinco =