Home / Destaque / Delegada de Cruz das Almas explica investigações de homicídios e tentativas de assassinato

Delegada de Cruz das Almas explica investigações de homicídios e tentativas de assassinato

O radialista Celso Oliveira recebeu nesta segunda-feira (31), no Programa Microfone Aberto, da Rádio Santa Cruz FM, a delegada de Cruz das Almas, Ivia Vidal, que falou sobre os dois homicídios e as tentativas de assassinato ocorrido no município no sábado (29) e domingo (30).

Genivaldo Fiúza dos Santos, 29 anos – morador de São José do Itaporã, na zona rural de Muritiba, baleado na noite de sábado, na Praça Multiuso, a delegada analisa que a vítima tenha uma rixa anterior com o agressor. “Não acredito em roubo porque não subtraíram nada. Não houve diálogo. Acredito que seja uma inimizade na cidade dele”, falou. “Ainda não sabemos a identidade do atirador”, contou. O jovem continua internado em estado grave no Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus.

Rosineide Lisboa Caldas, 36 anos  – a moradora do Edla Costa, em Cruz das Almas, que recebeu do marido, identificado como Cláudio Roberto dos Santos Caldas, 40 anos, uma facada no final da manhã deste domingo,foi levada à emergência do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus em estado grave. “Existe o risco dela perder os movimentos das pernas”, revelou a delegada. “Ela foi agredida pelo companheiro na semana passada”, acrescentou a policial. “Ele [Cláudio] seguiu para Itatim e já está indo para a terceira cidade”, contou. Vidal pretende representar um pedido de prisão preventiva contra o agressor.

Jean Nascimento, 19 anos – natural de Conceição do Almeida, a vítima, morta com tiros na cabeça no final da manhã deste domingo, no bairro Areal, apenas em um ano, foi presa três vezes, informou a delegada. “As informações preliminares são que ele brigou com traficantes aqui da cidade e foi morto. Ele estava aqui há três dias”, explicou. “Já temos uma linha de investigação”, garantiu Vidal.

Gilson Andrade dos Santos, 31 anos – a delegada contou que a vítima discutiu com quatro pessoas em um bar, na Baixa de Toquinha, na noite de domingo, antes de ser assassinado. “Ele estava indo para casa quando uma mulher deu uma facada e o marido dela deu uma pedrada. A família presenciou tudo e inclusive pediu clemência pela vida do rapaz. Já temos o nome dos quatro”, explicou. O quarteto acusado de praticar o crime, segundo Vidal, é morador da mesma localidade do homem assassinado. Vidal pretende também pedir à Justiça a prisão preventiva dos acusados.

Reportagem e foto: Maurício Medeiros

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

10 − 4 =