Home / Destaque / “Eu ficaria tetraplégica ou até morreria para vencer Liz Carmouche”, diz Ronda

“Eu ficaria tetraplégica ou até morreria para vencer Liz Carmouche”, diz Ronda

Quando Ronda Rousey sobe nos octógonos é quase certeza que a luta não vai passar dos primeiros minutos. Foi assim na maioria dos confrontos daamericana no MMA. Mas tem uma lutadora que conseguiu surpreender e Rond e até hoje é lembrada como uma das lutas mais duras da campeã dos pesos galos do UFC. Liz Carmouche foi a primeira adversária de Ronda no UFC e levou perigo durante o duelo.

“Eu desloquei minha mandíbula, quebrei meu septo nasal e saí tossindo da luta. Quando a mão dela passou pela minha mandíbula, minha boca estava muito aberta. Foi a única luta da qual eu saí com alguma lesão”, explicou Ronda.

“O que de pior poderia acontecer era quebrar o pescoço, e o meu estava além do lugar que deveria estar. Foi naquele momento que eu percebi que estava disposta a morrer para ganhar aquela luta. Eu estava disposta a ficar tetraplégica para vencer. Essa era a importância daquela luta para mim. Eu não me importava com as consequências. A possibilidade de desistir nunca passou pela minha cabeça. Você tem que querer mais a vitória que o seu adversário”, afirmou.

Uma das atletas mais bem pagas do UFC, Ronda Rousey se prepara agora para encarar a também americana Holly Holm. O duelo está marcado para acontecer no dia dois de janeiro, na cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos. A luta vale o título dos pesos-galos da entidade.

Por: Correio

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

nove − 6 =