Home / Entretenimento / Justiça determina que Assembleia Geral convocada por José Rocha seja anulada

Justiça determina que Assembleia Geral convocada por José Rocha seja anulada

Em mais um capítulo da guerra política que continua tomando conta dos bastidores no Esporte Clube Vitória,

o presidente do Conselho Deliberativo do clube, José Rocha, sofreu mais uma derrota na justiça.

O cartola teve um mandato de segurança rejeitado pela Justiça, que determinou o cancelamento do registro da Assembléia Geral realizada sem o apoio do atual presidente do Conselho Diretor, Raimundo Viana. De acordo com a decisão, a liminar conseguida para que a AGE fosse realizada foi uma ‘decisão precária’, e que deveria ter sido evitada por José Rocha.

 

Confira a decisão judicial:

‘A revogação da liminar, determinada no evento 26, retirou a validade de todos os atos praticados sob sua égide, revitalizando a antecipatória concedida na sentença, prolatada nos autos 0076814-16.2015.8.05.0001, que suspendia a agendada Assembleia Geral Extraordinária do Clube, em 20.12.2015.

Pois bem, com a liminar, decisão precária que a qualquer momento poderia ser revogada, o Impetrante adiantou a prática de atos definitivos os quais deveriam ter sido por ele evitados até por cautela.

 

A decisão foi proferida nos seguintes termos, confira-se:

Diante do quanto exposto, as provas realizadas indicam a necessidade da REVOGAÇÃO DA LIMINAR CONCEDIDA neste Writ, declarando-se a nulidade de todos os atos praticados pelo Impetrante após a prolação da liminar e a revigoração dos efeitos da antecipação de tutela concedida, restabelecendo-se o status quo ante, a fim de que seja mantida a determinação de que o Esporte Clube Vitória não realize assembleia, devendo o projeto de reforma seguir as tramitações legais de seu Estatuto.

Havendo notícia de que a decisão está sendo descumprida se fazem necessárias medidas mais efetivas para restabelecer o estado anterior, garantido na decisão revogatória.

Diante do exposto, determino a expedição de mandado de cancelamento do registro de nº 43.218 ao Cartório do 1º Ofício de Pessoa Jurídica desta Capital, em razão da nulidade da aludida assembleia, comunicando-se ao Impetrante, novamente, acerca da decisão do evento nº 26, retirando do mundo jurídico seu registro, com a posterior devolução dos documentos ao Esporte Clube Vitória.

Intimem-se e cumpra-se em 5 dias.

Salvador, em 22 de janeiro de 2016.

 

NICIA OLGA ANDRADE DE SOUZA DANTAS

Juíza Relatora’

*B. News.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

10 + 19 =