Home / Brasil / Em tom irônico, Sérgio Moro nega pedido de marqueteiro baiano na Lava Jato

Em tom irônico, Sérgio Moro nega pedido de marqueteiro baiano na Lava Jato

O juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância,

negou um pedido de acesso às informações sobre pagamentos realizados pela Odebrecht ao marqueteiro baiano João Santana, responsável pelas campanhas presidenciais de Lula (2006) e Dilma Rousseff (2010 e 2014). 

Segundo Moro, a abertura dos dados ao publicitário poderia pôr em risco o rastreamento de recursos financeiros ou mesmo levar à destruição de provas, conforme publicou nessa sexta-feira (19) o jornal Folha de S. Paulo.

Em sua decisão, ao argumentar a negativa para os advogados do marqueteiro, o magistro usou um tom irônico: “Foram instauradas investigações que ainda tramitam em sigilo. Medida como rastreamento financeiro demanda para sua eficácia sigilo sob risco de dissipação dos registros ou dos ativos. Como diz o ditado, dinheiro tem coração de coelho e patas de lebre”.
*B. News.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

dezessete + 19 =