Home / Notícias / Noivo de professora morta em Riachão do Jacuípe passa por exame de corpo de delito

Noivo de professora morta em Riachão do Jacuípe passa por exame de corpo de delito

Permanece sem solução o caso da morte da professora de inglês, Ienata Rios, 35, assassinada com mais de 20 facadas dentro da própria casa, em Riachão do Jacuípe, nesse domingo (3). Novas informações do depoimento do noivo à polícia relatam que Cássio Fabrício de Almeida, 30 anos, estava com um ferimento do lado direito da testa no momento da declaração e não soube explicar como teria acontecido. Eles estavam juntos há três anos e costumavam se ver nos finais de semana e feriados.

Ainda segundo as declarações do noivo, na sexta-feira (1), Ienata foi a um show na cidade de Feira de Santana e eles não passaram o final de semana juntos por causa do aniversário do filho de Cássio, que estaria completando 8 anos. O noivo disse que o último contato com ela foi via WhatsApp no sábado, por volta das 18h, mas que não teve resposta.

Ienata Rios, 35, foi morta dentro da própria casa
(Foto: Reprodução/Facebook)

De acordo com o delegado Sérgio Vasconcelos, existem dois suspeitos do caso. “Não queremos divulgar os suspeitos para não atrapalhar as investigações, a autoria está totalmente indefinida”, disse. Por causa do ferimento, Cássio foi submetido a corpo de delito. Segundo o delegado, o machucado era pequeno e parecia recente.

A professora foi enterrada na manhã de hoje na cidade de Pé de Serra, onde nasceu. Policiais civis e militares acompanharam o enterro. O noivo esteve presente na cidade e acompanhou levando o caixão, o filho da professora precisou ser amparado por amigos. Por estarem muito abalados, o filho de Ienata, a secretária doméstica dela e o vigilante da rua, que foram intimados a depor nesta tarde, serão ouvidos amanhã.

Ainda conforme o delegado, Cássio já apresentou as informações necessárias até o momento e está providenciando os comprovantes de consumo no shopping para atestar que não estava na cidade no dia do crime. As investigações continuam e dependem ainda do resultado dos laudos do Departamento de Polícia Técnica (DPT). (Correio da Bahia)

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

dez + 10 =