Home / Destaque / Conmebol considera grito homofóbico em estádio como ‘cultural’ e tenta frear punições da Fifa

Conmebol considera grito homofóbico em estádio como ‘cultural’ e tenta frear punições da Fifa

Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) classificou o comportamento homofóbico dos torcedores nos estádios do continente como ‘cultural’. É com esse argumento que os cartolas tentam convencer a Fifa de abandonar as punições que estão sendo impostas contra seleções. Até o momento a América Latina já foi punida em 13 oportunidades por gritos com caráter homofóbico, o que resultou em multas de R$ 550 mil francos suíços, cerca de R$ 1,8 milhão.

Nesta quarta-feira (12), a Conmebol manteve reuniões com membros da Fifa para explicar o caso. Um protesto dos presidentes das federações sul-americanas deve ser realizado para tentar frear as multas. Ativistas dos direitos humanos e observadores da Fifa contestaram a versão do comportamento “cultural”. Na semana passada a CBF foi condenada a pagar cerca de R$ 66 mil por conta de um incidente durante a partida da Seleção Brasileira contra a Colômbia, pelas Eliminatórias, na Arena Amazônia. A entidade brasileira foi punida pela primeira vez por conta dos gritos de ‘bicha’ vindos da arquibancada.

Entre as penalidades impostas pela Fifa estão ainda a proibição das equipes de atuar em alguns estádios e ter que jogar com portões fechados. Até o momento, a maior sanção foi aplicada contra o Chile. Os chilenos foram punidos e um primeiro momento e como voltaram a cometer infrações, não poderão enfrentar a Venezuela, no dia 28 de março, pelas eliminatórias, no estádio Nacional de Santiago, local que manda os seus jogos quando atua no país.

Por: Correio

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

12 − onze =