Home / Destaque / Observado por outros clubes, Jean garante foco total no Bahia

Observado por outros clubes, Jean garante foco total no Bahia

Se na máxima do futebol todo bom time começa por um bom goleiro, o Bahia pode se considerar bem servido na posição. Cria das divisões de base, Jean é um dos destaques e tem fechado o gol tricolor no Campeonato Brasileiro. Diante do Sport, domingo, às 16h, na Fonte Nova, ele se tornará o único jogador do elenco a atuar em todas as 17 partidas na competição.

“Tenho só que agradecer a Deus, esperei muito por essa oportunidade de jogar no Bahia, seja no ano passado na Série B, ou hoje na Série A. Estar na Série A é um sonho e poder jogar todos os jogos, mantendo a regularidade, que eu prezo. Tenho que a agradecer a Deus e a minha família”, afirmou o goleiro.

O bom momento de Jean tem contribuído para o desempenho do Bahia no Brasileirão. No triunfo por 2×0 sobre o Atlético Mineiro, na 15ª rodada, ele parou o atacante Fred e viu o técnico Jorginho pedir o seu nome na Seleção Brasileira.

As boas atuações chamaram a atenção até de equipes europeias, como o Benfica, por exemplo. Torcedor declarado do Bahia, o goleiro garante, no entanto, que quer permanecer no Fazendão e fazer história com a camisa tricolor.

“Estou muito tranquilo, focado no Bahia. As sondagens, se aparecerem, eu deixo para o Bahia e o meu empresário resolverem, não estou preocupado em ir embora, estou focado, jogar a Série A é um sonho que eu estou realizando e quero jogar sempre bem para ajudar o Bahia, fazer história e colocar o clube na Copa Libertadores”, disse, confiante.

Encontro com o ídolo
O duelo contra o Sport vai marcar também o encontro de Jean com o ídolo Magrão. O goleiro rival, que ainda é dúvida para o confronto em Salvador, desperta a admiração do camisa 1 tricolor. Os dois, inclusive, estão em pontos opostos quando o assunto é idade. Enquanto  Magrão, 40 anos, é o goleiro mais velho atuando no Brasileiro, Jean é o mais jovem entre os titulares, com apenas 21.

“Muitas coisas que ele (Magrão) tem eu queria ter. Se eu chegar na idade dele jogando, vai ser uma grande honra, ele é um goleiro excepcional, sou admirador do trabalho dele. Uma coisa que eu não tive a oportunidade foi a de trocar de camisa com ele. Na final, eu comemorei bastante e acabei esquecendo. Nesse jogo, que ele possa trocar de camisa comigo para eu ter a de mais um ídolo guardada”, explicou Jean, se referindo ao duelo da final do Nordestão.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

20 − seis =