Home / Destaque / Setor de educação oferece 1,4 mil vagas

Setor de educação oferece 1,4 mil vagas

Interessados em ocupar um emprego com estabilidade na área da educação devem ficar atentos às ofertas de vagas em concursos públicos com inscrições abertas nesta semana. São 1.492 oportunidades em todo o país distribuídas em 165 concursos. No nosso estado, a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) abriu 5 vagas para professor substituto, com salário de R$ 4.241,05. Os candidatos devem se inscrever em ufsb.edu.br até hoje. A taxa de participação é de R$ 100.

Na Bahia ainda há chances no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFBA). São 12 vagas para professores substitutos, com remuneração de R$ 3.121,16. Os interessados devem se inscrever até esta depois de amanhã (6/6), em portal.ifba.edu.br. Para o cadastro ser concluído é necessário o pagamento de uma taxa no valor de R$ 50.

Brasil

No momento, o estado de Goiás  é o que mais oferta vagas na área de educação no País: 990. Na Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), há 900 postos para professores nível 1, com remuneração é de R$ 3.126,35. Inscrições até quarta no link quadrix.org.br, e a taxa de R$ 70.

Já no estado de São Paulo há 124 oportunidades, distribuídas em 52 concursos. A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ligada à da Universidade de São Paulo (Esalq), por exemplo, abriu 11 vagas para professor-titular, com salário de R$ 15.862,33. As inscrições vão até 27 de agosto, por meio do endereço  uspdigital.usp.br. A taxa de inscrição não foi informada.

O educador que quer trabalhar em Minas Gerais encontra 54 vagas disponíveis. O Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) abriu 15 oportunidades para professores. As inscrições estão abertas até o dia 10 deste mês, através do link cefetmg.br. Também não foi informado se existe uma taxa de inscrição.

Preparação

Sinea Bispo, coordenadora do curso Ímpar, explica que é fundamental que o candidato de concurso público estude todo o edital das oportunidades. “Tem gente que faz a prova sem nem ler o edital. Você deve analisar todo o conteúdo dele, ver o que vai ser cobrado, estudar o conteúdo e a banca examinadora”, ressalta. “Também é importante treinar fazendo questões baseadas em concursos anteriores”, completa.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

seis + 9 =