Home / Destaque / Ministro defende exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas

Ministro defende exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas

Durante jantar promovido pelo site Poder360, na noite de ontem (6), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, defendeu a exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas. Em dezembro de 2018, o Ibama indeferiu a licença para que a petrolífera francesa Total explorasse a região, alegando que um eventual vazamento poderia impactar a biodiversidade marinha e os recifes do local, além de haver “profundas incertezas” sobre o plano de emergência da companhia. Freitas afirmou que o debate ambiental está sendo feito de forma ideológica e apaixonada.

“A discussão tem que ser mais técnica, mais racional. Por que a gente não pode explorar petróleo na foz do Amazonas, se a Guiana, do lado, está explorando? Essa empresa opera no mundo inteiro com segurança. É de se espantar a ideia de que ela seja incapaz de apresentar estudos ambientais que sejam aprovados. O poço de petróleo só vai gerar riqueza e benefício para a sociedade se ele for explorado. Nós vamos condenar o estado do Amapá ao subdesenvolvimento? Se for para fazer voto de pobreza é melhor fazer de castidade e de obediência também, porque aí pelo menos a gente salva a alma”, criticou.

Ele também atacou a demora na concessão das licenças ambientais em outros setores, citando como exemplo a linha de transmissão entre Manaus e Boa Vista. Além disso, defendeu a liberação para que os indígenas possam explorar comercialmente seus territórios. “A maioria dos índios já foi incorporada à nossa sociedade. O índio quer crescer, ficar rico, produzir, ser cidadão. Ele quer ter um espaço para professar sua fé, para exercitar sua cultura, dançar, se pintar, mas também quer o que nós queremos. Por que ele não pode produzir na terra dele? Será que ele não tem o direito também a ficar rico? Por que não termos índios ricos, milionários, que tenham seu próprio avião, sua caminhonete, que mandem seu filho estudar no exterior? Qual o problema?”, questionou.

Por: Metro1

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

18 − um =