DestaqueEducaçãoNotíciasRegiãoTecnologia

Estudantes e professores da UFRB transformam aparelhos de TVs piratas em minicomputadores

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) entregou a Delegacia da Receita Federal em Feira de Santana, o primeiro lote de minicomputadores com sistema operacional Linux, descaracterizado a partir de aparelhos de TVs Box, apreendidos pelo órgão de regulação por ter uso proibido pela legislação. Os 34 minicomputadores entregues a Receita Federal têm como destino estudantes da rede municipal de ensino de Feira de Santana.

Os microcomputadores têm como características processador de 4 gigahertz e memória de armazenamento de 8 gigabytes. Foram instalados softwares de edição de texto, vídeo e imagens e navegador para se ter acesso à internet. O usuário que vai receber o minicomputador terá 3 GB de memória livre para usufruto pessoal.

A solenidade de entrega dos equipamentos aconteceu na quinta-feira, dia 03, no auditório Paulo Freire, do Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS), em Feira de Santana, contou com a presença de representantes do alto escalão da Receita Federal em Feira e da direção do CETENS, pesquisadores, técnicos e estudantes da UFRB.

O destino sustentável às chamadas TVs Box, para a transformação em minicomputadores, foi realizado por pesquisadores da UFRB e estudantes dos cursos de Engenharias. Integram o projeto os professores e pesquisadores da UFRB, Raissa Tavares, Djoille Denner, Iuri Santos, João Luiz Carneiro, Leandro Brito e Nilmar de Souza.

O delegado da RF, Gustavo Breitenbach, disse que estava celebrando o sucesso da parceria com a UFRB, com a entrega do primeiro lote de minicomputadores. “Essa parceria é motivo de satisfação e orgulho para nós”. Segundo Breitenbach, esses materiais – TVs Box piratas- proibidos de serem comercializados no mercado brasileiro seriam todos destruídos pela Receita Federal, como consequência da apreensão em comércio ilegal desses produtos. O delegado enfatizou a parceria com a UFRB, no uso de inovação, tecnologia e pesquisa para transformar as TVs Box em minicomputadores e em outros equipamentos que possam ter uso mais adequado para a sociedade, como em escolas públicas, em laboratórios de informática e de robótica.

Breitenbach disse que os desdobramentos e a abrangência da parceria com a UFRB são “infinitos”. “Aqui estamos colhendo os primeiros frutos dessa parceria; a partir de agora a produção de minicomputadores será maior e novos produtos e equipamentos estão sendo pensados e desenvolvidos pela UFRB”.

UFRB/Divulgação

O diretor do CETENS, professor doutor Jacson Machado, destacou a capacidade técnica da instituição em absorver esses produtos apreendidos e repassados pela Receita Federal para transformá-los em tecnologia social e de acessibilidade que serão usados em benefício de estudantes de escolas públicas; usuários de serviços públicos com totem para atendimento em espaços públicos e na alfatetização digital de detentos. “Esses equipamentos chegaram num ambiente criativo e inovador da universidade e têm despertado interesse em jovens pesquisadores para o desenvolvimento da ciência”.

A professora Raissa Tavares, coordenadora do projeto na UFRB, informa que a proposta tem três eixos de execução: descaracterização, robôs assistivos e educacionais e data logger. “A descaracterização se dá pela remoção do software que dá acesso ilegal aos satélites e bloqueia o aparelho para que ele não possa ser TV pirata”. O segundo ponto diz que o elemento que compõe o robô deverá ser de baixa complexidade e de baixo custo. No último eixo, nomeado de data logger, podem ser instalados programas para realização de coleta de dados. Neste processo de implementação, serão realizados testes de usabilidade e capacidade de armazenamento”.

A estudante de Engenharia de Tecnologia Assistiva, Laissa Soares, aponta a utilização prática dos conhecimentos do curso no atendimento de demandas da sociedade. “Esses equipamentos atendem uma demanda da sociedade e servem de prática para a gente”, define.

Presenças – A solenidade contou com as presenças do diretor e vice-diretor do CETENS, respectivamente, Jacson Machado e Odair Vieira; de pesquisadores, técnicos e estudantes do CETENS e a direção da DRF, representada pelo novo delegado da DRF Feira de Santana, Gustavo Breitenbach; pela delegada adjunta Wanessa Andrade Damm; pelo assessor do Gabinete do Delegado, Manoel Mendes; e a chefe de programação e logística Karla Malaquias.

A equipe da RF chegou ao Campus Feira de Santana e visitou o Gabinete coletivo dos professores, os laboratórios práticos e o Auditório Paulo Freire, onde aconteceu a solenidade de assinatura de repasse de mais equipamentos apreendidos para o desenvolvimento de novas tecnologias sociais.

Por UFRB

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo